Baseado em Toronto, Canadá, Tadzio goldgewicht é um sinólogo especialista em pensamento chinês clássico, chinês arcaico e na arte marcial do Xingyiquan. Atua como professor e consultor.

Eu Sou Eu, Nicuri é o Diabo

Até a algum tempo atrás, os termos “esquerda” e “direita” diziam respeito somente a modelos sociopolíticos. Não creio que este ainda seja o caso, pois está claro que estes ditos modelos avançaram muito em suas pretensões, e que agora se propõem a explicar a própria realidade como um todo, não se limitando a fazê-lo somente através do paradigma sociopolítico, mas também a partir dos pontos de vista da religião, da espiritualidade e da moral, porquanto clamam para si a responsabilidade de guiar a humanidade também nessas esferas. Assim, pode se dizer com segurança que transformaram-se em sistemas filosóficos, e que, enquanto tal, explicam a realidade e determinam como o indivíduo deve pensar e proceder em sua vida pública ou privada. Ao buscarem ou aceitarem esta nova dimensão que tudo abarca — inclusive a humanidade em seus aspectos físicos e metafísicos — e ao impor suas respectivas ideias e modos de conduta que consideram desejáveis ou aceitáveis, estes dois sistemas reduzem o ser humano, em toda sua riqueza e pluralidade,  a meros “esquerdistas”ou “direitistas”. Eu, enquanto livre pensador, não sou nem uma coisa nem outra; não sem grande dificuldade, sou apenas eu mesmo, e isso me basta.

É fato que a esquerda e a direita tem travado uma guerra ideológica que é, como toda guerra, indesejável - excetuando-se naturalmente aquelas situações onde o embate é a única solução possível. Entretanto, ao observar o atual cenário sociopolítico, me parece claro que as idéias da chamada “esquerda” estão muito mais difundidas do que as de seus adversários. Com efeito, não há mais, como se possa talvez imaginar, uma batalha pelo domínio das ideias na sociedade, porque esta batalha já foi travada e obviamente vencida pela esquerda, que claramente domina a esfera ideológica no governo, nas escolas, nas artes, na literatura e na grande mídia. A batalha que a esquerda trava neste momento não é pela implantação de suas idéias, mas sim pela radicalização das mesmas - o território já foi conquistado, o sistema convertido e a população cooptada; agora resta somente solidificar a dominação, radicaliza-lae expandi-la.

Um dos efeitos mais nocivos desta guerra é o claro abismo intelectual que se formou entre indivíduos frutos de uma educação esquerdista e todos os outros. Isso acontece porque enquanto a educação clássica é humanista e tem como único objetivo o avanço intelectual, a educação esquerdista é baseada em valores como coletivização, liberdade irrestrita e amoralidade, e está a serviço de uma agenda especifica que nada tem a ver com o avanço intelectual, e sim com a engenharia social e a reestruturação do paradigma cognitivo da sociedade. Como resultado direto da formação deste abismo, torna-se impossível, ou pelo menos muito difícil, a comunicação entre quem recebe uma educação tradicional e aqueles que recebem uma educação esquerdista, porque enquanto os primeiros aprendem a ler, a escrever, a pensar e raciocinar de forma crítica, esquerdistas aprendem a ler e escrever com dificuldade, são doutrinados a pensar com liberdade restrita por rígidos parâmetros ideológicos e nada sabem sobre o pensamento crítico e a razão. Não menos relevante é o fato de que a chamada tolerância esquerdista deixa de existir seja quando o indivíduo é contrariado, seja quando, durante uma conversa, o interlocutor não compartilha de suas ideias. Neste momento, toda a arrogância e a violência que a esquerda mascara como tolerância e bondade transparecem, revelando a verdadeira face pútrida e doente daquele que acredita ter a medida certa de todas as coisas. De fato, se ao iniciar uma conversa com um esquerdista o indivíduo partir do ponto de vista da lógica, da razão, ou mesmo do bom senso, a conversa certamente não irá muito longe, porque a capacidade de entendimento e expressão do esquerdista estará seriamente comprometida, de modo que tal conversa seria uma verdadeira demonstração de frases sem nexo que não fariam o menor sentido, digna de ocorrer apenas em manicomios ou reuniões do mais alto teor etílico.  Assista ao vídeo abaixo e entenda:

 

Para a agenda esquerdista este tipo de limitação cognitiva e intelectual é absolutamente necessária, e revela um sofisticado sistema de imbecilização travestido de sistema educacional.  Na educação esquerdista, hoje adotada globalmente, não se pode “oprimir” os alunos com regras de gramática, da boa escrita, da correta redação ou da interpretação de texto - os alunos devem ser livres para a utilizar a linguagem de forma natural e espontânea; afinal, o que realmente importa é a comunicação, e a gramática, ao invés de ajudar, restringe possibilidades (vale notar que um esquerdista jamais pode ser oprimido, pode apenas oprimir). Assim, após longos anos não de estudo, mas de presença escolar, formam-se verdadeiros analfabetos funcionais, indivíduos incapazes de redigir ou interpretar um texto, de raciocinar de maneira lógica e de se expressar com objetividade e naturalidade. Acima de tudo, formam-se indivíduos que vivem de acordo com os princípios ideológicos da esquerda mas que não fazem idéia de que são, de fato, esquerdistas. 

Diante deste cenário, creio que valem quatro ressalvas. Primeiro, não se limite acreditando que suas ideias precisam subscrever a um determinado modo de pensar - seja você mesmo e não se preocupe com o que isso signifique porque, na verdade, não significa absolutamente nada. Segundo, não confie a educação de seus filhos à escola alguma - sim, é necessário encontrar uma escola que esteja comprometida unicamente com o avanço intelectual de seus alunos, mas a formação intelectual dos filhos sempre será responsabilidade dos pais. Terceiro, esteja sempre preparado para lidar com a violência do esquerdista, porque sua cordialidade dura somente até que ele se sinta contrariado. Quarto, da próxima vez que se deparar com um texto que não faça o menor sentido, que seu esforço em fazer alguém entender um simples argumento lógico falhar, ou que não consiga entender como uma pessoa pode ser tão desprovida de pensamento crítico, não fique frustrado - você é culpado apenas de ter aprendido a ler e escrever.

Brasil, um País de Muito Amor.

Santander e a "Arte"